Carregando ...

Quem eu sou ?

pensando1
pensando1

Texto básico: Lc 10:30-35

Todos nós já ouvimos diversas mensagens sobre esse texto, bem como já ouvimos diversas vezes a razão do nosso chamado. Penso que Deus constantemente nos lembra de algo que fingimos não entender ou fingimos que esquecemos.

A missão de Cristo nesta terra foi resgatar o perdido e foi esta missão que deu para sua noiva, “prepare o caminho”, busque os perdidos, ensine sobre o Reino de Deus, porque o Reino está próximo, tudo isso ouvimos diversas vezes. Por que não damos a importância devida à missão que nos foi dada? Por que a igreja hoje não se preocupa mais em buscar o perdido e nem em obedecer a voz do Senhor?

Se pararmos para pensar: Como foi que fomos encontrados pelo Senhor Jesus? Você se lembra das circunstâncias em que você se aproximou dele?

Esse texto mostra que certo homem descia de Jerusalém para Jericó. Certo homem decidiu sair do lugar da santidade, da busca, do altar, dos escolhidos para trilhar sua rota para Jericó e foi surpreendido veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto.

Este é o estado que fomos encontrados por Jesus. O ladrão roubou tudo que tínhamos, nossa alegria, nossa paz, nossa família, nosso patrimônio e ainda nos deixou meio mortos, sem forças para andar, para tocar nossa vida, talvez por uma enfermidade, talvez por um casamento desfeito, talvez por escassez de alimentos, por dívidas, por viver num mundo de perversidade. Talvez tenha sido assim que Ele te encontrou.

Este homem que foi encontrado no meio do caminho era eu e era você. Muitos passaram por nós e não nos estenderam as mãos, muitos tiveram medo de nós, muitos não se importaram com nossa vida, nossa dor, nossas feridas, nossos sofrimentos e ficamos largados e os amigos, os religiosos, os que antes até nos consideravam, não se importaram com nosso estado.

Um dia teve um homem que não passou. Ele parou, ele se compadeceu de mim e de você, Ele viu nossas feridas, nosso sofrimento. E foram nessas condições que Jesus nos encontrou na beira do caminho. Mesmo sabendo que poderíamos andar pelo caminho e encontraríamos a porta aberta para nos receber, não tínhamos forças, não
tínhamos coragem e o sentimento de culpa, de acusação não deixou nos aproximar de Deus. Mais este homem se aproximou de nós.

Não somente se aproximou mais nos levou para um lugar onde pudéssemos ser tratados. Jesus nos resgatou e nos colocou na hospedaria, sua igreja, para que pudéssemos receber a medicação, o alimento e o cuidado das feridas. Pagou o hospedeiro.

O que isso quer dizer? Que nós que estamos na igreja de Jesus, sua hospedaria, já fomos pagos para cuidar das vidas que Ele trás feridas, para serem cuidadas. O cuidado é o discipulado, o acompanhamento, o ensino da palavra. A noiva esta indiferente a ordem que lhe foi dada. A noiva tem que estar preparada com azeite na sua lâmpada para esperar o noivo, mas ela não está de sentinela, não se preocupa mais com esse tão esperado encontro.
O discipulado, o cuidado do hospedeiro era até que ele voltasse para ajustar as contas das despesas extras que teve.

Temos que entender que quando Jesus traz um ferido para sua casa é para ser cuidado entendendo que ele vem de um mundo diferente do seu. O reino deste mundo é diferente do Reino de Deus.

Como vamos entender isso?

Quando vem alguém ferido deste mundo vem doente, meio morto e é necessário além de reanima-lo, ensinálo sobre o Reino de Deus. O discipulado é fundamental para entender como o Reino funciona. É bem diferente do reino deste mundo, que o torna escravo do pecado, da mentira, do engano. Se não discipularmos, dificilmente essas pessoas vão crescer, tende a continuar com as mesmas atitudes e comportamentos, o ensino da palavra é a forma
de mostrar o quanto precisamos mudar porque estamos sendo expostos a coisas novas que não sabíamos e não conhecíamos.

Esse ferido vai ficar na hospedaria o tempo que for necessário até que o Senhor volte. Porque ainda tem contas a ajustar.

O(a) seu(sua) mentor(a), discipulador (a) ou seu líder é como esse hospedeiro, que recebe das mãos do Senhor um homem meio morto, e assume o serviço como seu, e gasta-se nisso. Ele receberá a recompensa do que gastou a mais por ter aceitado cuidar de um homem meio morto, que dias depois, levantou e perguntou: Onde está quem me ajudou na estrada? O hospedeiro respondeu: “Ele foi embora e disse que voltará”. Jesus não só nos
colocou nas mãos da sua noiva, mas Ele disse: Voltarei.

O que temos que fazer agora? Esse homem já não está meio morto e diz: “Levantarei, pois, e farei o mesmo sublime trabalho, até que Ele volte”. Vou cuidar de vidas, vou resgatar os feridos, vou trazer os que estão no meio caminho para a hospedaria para ser tratado.
Quem é você nessa história?

Os que passaram de largo, o hospedeiro ou o ferido? Se você continua inerte, indiferente aos feridos que encontra por aí, você pode ser um destes feridos precisando que Jesus vá te buscar para a hospedaria (sua igreja).

Precisamos nos levantar com urgência para fazer o que o Senhor mandou: cuida dele, aqui está 2 denários, cuide das feridas e alimente-o até que eu venha e se precisar de mais pode gastar que eu pago. Na realidade todo o serviço de restauração já foi pago na cruz do calvário, o que o hospedeiro precisa é ensinar sobre o Reino, como funciona, como
operar neste Reino, como viver essa nova vida, como agradar o coração do Pai, como alegrá-lo em obediência e santidade, como viver uma nova vida. Agora que já saiu do reino das trevas, precisa conhecer o reino da Luz.

Deixe um comentário

Conecte-se com a rede social a qual pertence
  Se inscrever  
Notificação de

Veja outros

  • Estudos para as células
A Salvação
All articles loaded
No more articles to load
Agenda da Semana Agenda da Semana

Send this to a friend