Carregando ...

A VARA SECA

Texto básico: Números 17:1-10
Esta tremenda experiência aconteceu depois de Moisés e Arão viverem outra muito forte, a rebelião de Coré, Datã e Abirão.
Cap 16:2 diz que: Levantaram-se perante Moisés com duzentos e cinquenta homens, dos filhos de Israel, príncipes da congregação, eleitos por ela, varões de renome.

Não eram qualquer pessoa ou discípulo, eram príncipes e varões de renome, bem posicionados na sociedade israelense da época.
Estas pessoas se levantaram contra homens simples que tinham apenas uma vara seca de amendoeira na mão. A vara era agora seu instrumento de trabalho. Moisés pegou em uma a primeira vez quando foi trabalhar com seu sogro apascentando suas ovelhas. Com ela ajuntava rebanho, com ela conduzia as ovelhas, com ela as protegia, com ela as trazia para perto. Como pode uma simples vara seca ter tantas utilidades? Antes de vir para as mãos de Moisés, era apenas uma vara seca. Deus estava preparando aquele homem para conhecer coisas extraordinárias, com essa vara seca.
Foi com ela que, na segunda fase da vida de Moises, (onde ele não mais apascentava animais, mais pessoas), que ele viu o poder dessa vara. Quero lhe dizer que somos essa vara seca, que não tínhamos serventia nenhuma, nem para produzir frutos, mais na mão de Deus tivemos nosso primeiro enfrentamento com a serpente que tenta se opor ao nosso caminho. Mas Deus nos dá o poder para devorar todas que nele aparece, aleluia.
O mais importante nisso tudo é que: Para Frutificar, precisamos estar ligados a Deus. A vara estava na mão de Moisés: precisamos estar ligados na mão do Senhor “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.” (João 15:4 RA)
Conforme o texto acima é impossível frutificar se a vara não estiver ligada na terra. Espiritualmente também é assim. Deus quis mostrar ao povo dos dias de Moisés que a vara de Arão só pôde florescer porque ela estava ligada à vontade e ao plano soberano do Senhor.
Como uma vara podia florescer e dar frutos sem estar plantada na terra? O milagre veio confirmar que a escolha do ministério sacerdotal não foi meramente humana e sim divina. Para frutificar em qualquer área da vida precisamos estar ligados aos planos e aos propósitos divinos. Não podemos ter a expectativa de prosperar, biblicamente falando, se não estivermos dentro dos princípios que Ele estabeleceu para nós.
O sucesso de Moisés trouxe muitos problemas de relacionamentos com a liderança que ele mesmo levantou. Ciúmes, opressão, ganância, disputas, confusões internas e em todas essas situações precisou da intervenção de Deus para mantê-lo na posição mostrando claramente qual era a escolha de Deus.
Precisamos ter muito cuidado com o nosso sucesso e com o sucesso de nossos líderes e irmãos, para que isso não desperte aspirações erradas, desejos errados quanto a nossa escolha e chamado.
Moisés cuidava bem do povo que saiu do Egito, no entanto sempre encontrava murmurações, rebeliões algumas vezes, desistência. Enquanto formos gente vamos conviver com isso, porque temos alma e nem todos tem habilidades para lidar com essas emoções. Os sentimentos nos levam a ter motivações equivocadas gerando inimizades, quebrando alianças e até morte espiritual por fazer escolhas equivocadas.
Nessa história, Deus queria mostrar qual era a tribo que estava apta para o sacerdócio. Cada líder das suas tribos pegou uma vara e as colocou de frente para a tenda do testemunho, e entre as 12 varas estava a de Arão escrita o nome de Levi. No dia seguinte a vara de Arão floresceu. Isso já é maravilhoso. A verdade é que esta vara se transformou em um candelabro, vamos notar que os mesmos elementos que estavam no candelabro estavam na vara florescida de Arão. Êxodo 37:17-23
O candelabro tinha flores, tinha amêndoas e tinha as maçãs que era símbolo de renovo. Façamos agora um comparativo com a vara de Arão que floresceu. Os mesmos elementos estavam na vara. Continha o renovo (maçãs), estava florida e tinha amêndoas como o candelabro. A vara era a haste central, e três galhos cresceu para cada lado assim como no candelabro.
Três galhos crescem para o oriente e três galhos crescem para o oriente, mostrando dessa forma que o conteúdo do evangelho é igual para o ocidente e oriente. Note que as ramificações saem da haste central, isso é muito profundo, pois a vara representa a tribo de Levi, a tribo sacerdotal, dela sai todos os galhos do evangelho.
Era a tribo de Levi que carregava a arca, esta tribo representa a igreja, e a arca tipifica Cristo. Isto significa que Deus precisava florescer a vara de Arão que levava o nome de Levi, pois dela nasceria à igreja, um dos seus galhos, e por intermédio da igreja o evangelho será levado de forma igual ao oriente e ocidente. Em cada galho tinha três gomos de amêndoas, isto mostra que os frutos do Pai, do Filho e do Espírito Santo estaria em cada haste.
Sobre cada haste tinha sete lâmpadas que representa as 7 unções do Espírito Santo sobre a igreja. Isaías 11:2
Tudo começou em uma vara seca e desacreditada, alvo de murmurações, mas, quando Deus transformou esta vara em candelabro, deu renovos, deu flores e frutos.

Deixe um comentário

Conecte-se com a rede social a qual pertence
  Se inscrever  
Notificação de

Veja outros

All articles loaded
No more articles to load
Agenda da Semana Agenda da Semana

Send this to a friend