Taking too long? Close loading screen.

Transformando o caráter da nação pelo poder da unidade

0

Deuteronômio 6:4

Quando falamos de unidade, a primeira coisa que permeia nossa mente é união ou igualdade, mas, na
verdade, é o contrário: unidade é a graça para viver a diferença em meio aos iguais, é ser agente transformador
sem precisar irromper valores.

A unidade é ferramenta transformadora de caráter. Mas, como desataremos esse manto de unidade se
cada um já possui sua rota? Através de Avivamento! Estamos crendo em um mover sobrenatural de Deus para
nos levar a níveis bem mais intensos e nos moldar à Sua vontade, pois as pessoas desconhecem a graça de
andar juntos sem interferir na cultura do outro.

Podemos caminhar com pessoas e não negociarmos projetos; conviver com indivíduos e não
contaminarmos nossos sonhos. Cada um respeitando a luz que o outro anda. Foi assim que nos valemos do
discurso e prática, e hoje somos Visão Celular no Modelo dos 12, e percebemos que esse é o melhor caminho
para a tolerância.

1. A Unidade transformadora tem a obediência como bússola

Bem, uma das primeiras vezes que aparece a palavra unidade está relacionada à obediência. “Ouça, Israel!”
Que isso quer dizer? Que vamos caminhar no modelo da fé de um povo e na proposta que eles vivem. 12 tribos
constroem uma nação em torno de um propósito: serem UM. A palavra “Echad” significa sermos UM,
essência. “Ouça Israel, o Senhor teu Deus é UM, Ele é o único Deus.” (Deuteronômio 6:4)

Como podemos ser um se nós temos cultura, costume, linguagem e pensamentos plurais? Nisso está a
sabedoria, pois apesar de sermos diferentes, podemos ser um no propósito, pois o que nos une é mais
poderoso do que o que nos separa. Estamos acreditando no propósito central de Deus, afinal a sugestão é
dele, e passa a ser uma ordem: Ouça!

O verbo ouvir está no modo imperativo, ‘ouça’, direcionado a homens que, gostando ou não, não têm opção
a não ser se curvarem para a essência que o Eterno está sugerindo: Sejam UM. Assim como Ele é UM no Pai
e o Pai é UM no Filho, que sejamos Um neles, para que o mundo creia que Jesus foi enviado.

É responsabilidade tão-somente nossa mantermos o discurso da visão de Deus, em que é melhor serem
uma unidade (3) do que um. Precisamos aprender este segredo: que o cordão de três dobras não se rompe
facilmente (Eclesiastes 4:12). Quando estamos no poder da unidade, não nos quebramos, pelo contrário,
somos fortalecidos.

“Echad”, ouvir, é uma chamada de atenção para que nossa audição espiritual esteja em atenção. Podemos
ouvir o que o Senhor está nos ministrando, uma chamada de devolução aos valores. Agora somos UM!
Bem, a exemplo de Deus ser UM e Único, mostra que a unidade nos leva ao entendimento de que há um
poder quando somos UM, as coisas correm em direção ao rio e nada nos pode vencer. Na introdução da Visão,
ninguém nos segurava. Éramos águas de Rubens, impetuosas, que desciam montanhas abaixo, e, nada nem
ninguém pôde nos segurar, pois todos sustentávamos o mesmo discurso: Somos um!

2. A Unidade transformadora rompe com as separações

“Echad” mostra que precisamos romper o muro da separação e entrarmos com respeito no território do
outro. Não se conquista territórios traumatizando relacionamentos. Unidade só será possível se o muro for
quebrado. Quem construiu o muro da separação? Cada um colocou seu tijolo e tem sua participação. Somos
demasiadamente preconceituosos, não sabemos nos comportar diante das diferenças. Por isso, cada um
resolveu construir seu próprio muro e um Berlim de separação chegou às fronteiras da Igreja.

Como somos indivíduos cheios de mazelas e gostamos do complicado, não optamos pelo relacionamento
saudável. Sempre vamos nos mover apontando o defeito do outro. Como consequência, faremos uma colheita
trágica, pois não se planta vento e se colhe bonança. A Palavra nos adverte que os semeadores de ventos vão
colher tempestade.

A unidade evitaria as catástrofes e nos ministraria segurança. Claro que não é um tema fácil nem um
discurso maleável, estamos falando de renúncia, de um bater no peito e abrirmos mão de muitos conceitos
próprios. Se não somos unidos em doutrina, vamos ser em Projetos. Unidade é a inteligência no propósito e
sabedoria no resultado. Por isso, “Echad” nos fala de uma renúncia para termos direito ao êxito. Os muros
criados por nós mesmos devem ser derrubados pelos seus autores. Se é verdade para nós que a Palavra do
Eterno é martelo que tritura a rocha, vamos usá-la para demolir as paredes que nos separam (Jeremias 23:29).
O véu se rasgou de alto a baixo e nós o costuramos de baixo ao alto. Somos religiosamente culpados pelas
nossas ilhas. Alguns vivem em zona de conforto e nem imaginam que o Reino é muito maior que tudo isso que
temos vivido.

Ainda não temos nem somos o que Deus sonhou para nós. Mas pela unidade, vamos conquistar esse
legado maravilhoso de vermos as paredes da indiferença no chão e as fronteiras do relacionamento abertas.

 

Deixe uma resposta