Você tem um valor!

[social-share-display display="1561552678" force="true"]
valorizarpessoas
valorizarpessoas

João 3:16

Hoje vivemos em um mundo que estabelece o valor das pessoas pelo seu status ou condição financeira; um mundo onde o valor de uma pessoa se tornou superficial, onde descartamos com facilidade e desprezamos o desigual; mundo onde nos esquecemos que cada ser humano é um indivíduo único e especial, criado por Deus! Para muitos, não é possível enxergar valor em uma pessoa que talvez não tenha nada para oferecer, mas nós temos alguém que nos enxerga de uma maneira única, diferente e especial: Jesus!

A maior estratégia de satanás é destruir a identidade do homem, deturpar o seu valor e sucumbi-lo até que não reste nada mais, apenas a condenação. Com o pecado, esses problemas se tornaram naturais na vida do homem. Mas Deus estabeleceu a igreja como um lugar que se tornou um hospital, onde o próprio Deus cura nossa alma, restaura o nosso vigor e nos devolve à identidade de filhos de Deus que foi perdida no Éden.

Jesus veio para restaurar o que estava quebrado, transformar o que estava perdido e curar o que estava doente. Precisamos mudar os nossos conceitos sobre o verdadeiro valor daqueles que estão ao nosso redor, e começar a nos enxergar na ótica de Jesus, para que satanás não destrua a nossa identidade e nem roube aquilo que, através de Jesus e do Seu sangue, nos foi dado: a vida eterna. Esta vida não começa quando morremos, mas quando nascemos de novo.

A Bíblia conta que Jesus entrou na sinagoga e encontrou um homem que tinha uma das mãos ressequida. Ali estavam alguns doutores da lei tentando colocar Jesus a prova, e lhe perguntaram: “é lícito curar no sábado?” O mesmo Jesus responde “qual dentre vós será o homem que, tendo uma ovelha e, num sábado está cair em uma cova, não fará todo o esforço, tirando-a dali?” (Mt.12:9-12).

A pergunta é: quem são as ovelhas que caíram numa cova? Quem é este homem que faz esforço para tirar logo? Por que um Deus perfeito, que muito provavelmente tem centenas, milhares e milhões de ovelhas, se esforçaria para arrancar uma ovelha da cova? Porque Jesus, como nosso pastor, sabe e vê valor em nós. Na lógica, seria insano arriscar a sua vida por uma ovelha, mas Jesus entregou a Dele por você! Romanos 5:12.

A cova é um lugar profundo, sujo e cheio de trevas; um lugar onde se enterram mortos. É necessário ser feito um esforço muito grande para arrancar algo ou alguém de um lugar assim.

Foi dado a Adão o privilégio de ser perfeito e ser filho de Deus, mas quando Eva se encontrou com a serpente e ela, juntamente com Adão, escolheu o pecado, ali então o homem escolheu a morte, e por causa da sua semente, através dele, a morte veio para todos nós – estávamos em uma cova, destinados à morte.

Deus, cheio de graça e bondade, olhou com misericórdia para o homem, indigno e pecador, e viu valor em nós, um valor que não conseguimos enxergar muitas vezes mas Deus viu, e enviou o seu único filho que se tornou homem, se despiu da sua vontade, se afastou do Pai, foi para a Cruz, e por amor tomou o nosso lugar nos arrancando da “cova” dos nossos delitos e pecados, nos devolvendo a vida!

A Bíblia nos mostra que, logo antes do episódio do homem com a mão ressequida, Jesus tinha participado de um interrogatório sobre o sábado, feito pelos fariseus. A Bíblia diz que Jesus entrou na sinagoga deles. Sabemos que os fariseus eram homens que viviam de aparência, com corações soberbos e tratavam as pessoas de uma maneira contrária a de Jesus, viviam de uma maneira hipócrita e religiosa E foi dentro dessa sinagoga, no lugar da habitação desses homens, que Jesus encontrou um homem com a mão direita atrofiada.

A palavra “atrofiado” significa: impedido de se desenvolver, definhado, minguado. A atrofia também se caracteriza pela desconexão do membro com os nervos e o cérebro, impedido assim seu desenvolvimento e tornando esse membro paralisado e insensível com relação ao corpo.

Aqui nós temos, simbolicamente, aquilo que a religiosidade pode fazer com a nossa vida. Ela nos desconecta de Cristo, o cabeça da Igreja, e nos torna insensíveis na nossa relação com Deus e com o nosso irmão. Ela também nos paralisa.

É importante ressaltar que Jesus não encontrou esse homem fora da sinagoga mas dentro, em um sábado (no shabbat, dia dos judeus estarem no templo) e muito provavelmente entregando a sua oferta ao Senhor.

Muitos crentes, por causa de religiosidade, estão atrofiando dentro da igreja, porque se desconectaram de JESUS. Vivem uma vida religiosa, de aparência, e escondem o que existe em seu coração, escondem a sua insensibilidade em relação a ele mesmo, seu irmão e ao próprio Deus, permitindo que a superficialidade e a carnali-dade atrofiasse o seu coração. Mas mesmo doente, paralisada e insensível, a sua mão atrofiada não deixou de fazer parte do corpo! O propósito de Jesus não é arranjar um membro paralisado mas restaurá-lo e torná-lo saudável de novo (Lucas 6:8). Aquilo que era vergonha no oculto, Deus restaura e transforma em público.

O nosso verdadeiro valor não está naquilo que podem fazer por nós, mas naquilo que JESUS já fez na cruz do calvário

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend