Yeshua é o nosso Yom Kippur

[social-share-display display="1561552678" force="true"]
diadoperdao
diadoperdao

Lucas 23:34

Perdão não se executa por sentimento, mas por ordenança e princípio. Jesus ensinou que o perdão é ilimitado. Quando alguém vem na sua direção para pedir perdão, é obrigatoriedade bíblica liberar a pessoa (Mateus 18:29-35). Pessoas inteligentes perdoam, pois o exercício do perdão faz bem à alma e cura enfermidades.

Vemos que pessoas estão doentes, com enfermidades psicossomáticas, devido a amarras provenientes da falta de perdão. Quem perdoa está livre para tocar a vida com êxito, pois o perdão é a semente da liberdade. A falta de perdão é a semente para prisões. Além das doenças de alma, pessoas adoecem no físico, na mente, e ficam presas no mundo espiritual. As pessoas vingativas são reprovadas pelo Eterno.

O perdão é o princípio que nos dá a chance de chegarmos à presença de Deus. Jesus veio estabelecer esses princípios pelo Calvário. Ele pediu ao Pai que perdoasse aqueles que não sabiam o que estavam fazendo (Lucas 23:34). A forma de entender Calvário é pela Cruz e o sinônimo da Cruz é o Perdão!

Jesus é o nosso Yom Kippur. Se observarmos a doutrina de Yeshua, verificamos que somos devedores de muita coisa. Yom Kippur é a Festa de Deus para o Perdão. Deus deixou uma festa especial para ministrar o perdão e sermos promovi-dos no mundo espiritual sem nenhuma pendência. O inimigo perde todas as forças quando o perdão entra em operação. As pessoas entram em níveis diferentes e são poderosamente abençoadas em tempos, épocas e estações que não são comuns. O perdão abre portas novas e fecha portas velhas.

Se você deseja portas novas abertas na sua direção, então faça o exercício do perdão para que possa trazer mais da presença de Deus e ver a provisão do Trono sendo liberada em sua vida.

O perdão é uma chamada para Libertação no espírito, é promotor da cura da alma (emoções) e cura do físico. É provado que quando uma pessoa perdoa outra, ambas se sentem mais leves, mais felizes, pois a carga que pesava sobre elas já não mais existe.

Yom Kippur possui vários decretos:

1. Receber o Guimah Hatimah Tovah

Receber o Guimah Hatimah Tovah é receber boa assinatura no Livro. Existe um livro para escrever o nome daqueles que perdoam. Estes têm a liberação de todas as suas dívidas e estão livres, libertas para fazer tudo sem pendências. Em outras palavras, a pessoa é tirada da condenação e levada a liberdade; recebe a carta de alforria. Então, seja livre!

Yeshua encerrou nossa dívida e quitou a acusação. Quando você perdoa, você sai do livro da condenação e entra na assinatura do Livro da Vida. Pelo perdão, você está com seu nome no Livro da Vida (Col.2:12-14).

2. Entender o Kaparoth

Kaparoth é expiação que liberta, é entender o poder da expiação em Yom Kippur. Todos proclamam pela expiação. É um exercício de fé, porém um cumprimento do princípio mais solene que levou Yeshua ao propiciatório, à Cruz do Calvário, para bradar: Está consumado! Perdoei as gerações do passado, do presente e do futuro!

O Kaparoth é o derramar de vida em que, através de nossos atos de regeneração, podemos ser soltos e soltar pessoas que estão presas em nosso arraial. Às vezes, por causa de situações adversas, não conseguimos liberá-las do nosso sentimento. Mas quando entendemos que o Cordeiro ferido é remédio para nossa ferida, além de curados, curamos outros tantos. Kaparoth é um derramar de vida para libertar, curar, restaurar e devolver o crédito, a integridade e a dignidade.

3. Ser uma Kaparháh

Ser uma Kaparháh representa ser um Amigo de Aliança. O poder do perdão faz nascer novos relacionamentos, amizades e alianças, restaura situações que haviam sido quebradas e muda a perspectiva da vida.

O perdão tem dois lados: o que é perdoado e o que perdoa. É uma unidade que faz com que o poder da palavra entre em operação e haja abatimento de caráter distorcido e de sentimento desordenado. As pessoas são libertas e saradas, mesmo sem sentirem nada. O perdão é uma herança que vence o sentimento para se estabelecer o princípio.

Pelo perdão, nascem os amigos da aliança, pessoas que entram em planos sobrenaturais, tornam-se mais irmãos que os biológicos. Aliança é o Brisths, que significa expiar sangue até transferir vida pelo poder da ressurreição. Por isso, Yeshua é nosso irmão mais velho, Ele derramou sangue por nós e, pela aliança, reconciliou-nos com o Pai.

Yom Kippur é consolidado com duas fases, dependendo do entendimento:

1. Está ligada a dívida de sentimento.

2. Dívida moral, ética ou espiritual.

De qualquer forma, só perdoamos alguém que tem uma dívida conosco. “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores.” (Mateus 6:12). Perdão é um pagamento.

Yeshua é o Presente de Deus para a humanidade. Ele foi e é o maior sinal de Yom Kippur para manifestar que as dívidas espiritual, emocional, sentimental, física, ética e moral estão quitadas pelo maior ato profético da história: a Cruz do Calvário. Sinta-se livre!

Guimah Hatimah Tovah. Uma boa assinatura! Feliz Yom Kippur!

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend