Carregando ...

A Cruz, O Poder de Deus e o Trono

osinimigosdacruz
osinimigosdacruz

Gl.6:14 / Hb.10:8-9 / I Co.1:17,21-24.

A cruz, o poder de Deus e o trono, três palavras simples, mas que parece não ter relevância nesta geração; mas temos que voltar à simplicidade e pureza da palavra. Há alguns assuntos que temos que recuperar o entendimento, porque a palavra não está presa, ela corre e o conhecimento da palavra nos faz livres.
Podem te roubar o que você sente mas jamais aquilo que você entende. Todo o conselho de Deus é entender. Isso é o que Paulo estava ensinando. Apesar de seu grande entendimento, ele somente se gloriava em uma coisa: não em ser fariseu, mas sim na cruz de Cristo. Esta é a evidencia de alguém que experimentou o amor de Deus.

Paulo vai enfrentar com a obra da cruz, 2 congregações muito conflitivas, a de Corinto e da Galácia. Ele reconhecia que o problema não estava na habilidade dos dons, eles tinham todos os dons, faziam milagres, mas uma divisão estava se tornando muito grande entre eles, e podia ser quebrada pelo poder da cruz, porque a cruz nos torna um. Em qualquer nação e qualquer continente, a cruz nos faz um.

Ele disse “eu vou a vocês, mas eu não me propus a fazer outra coisa a não ser falar a palavra da cruz”, porque a palavra da cruz não é somente para evangelizar os perdidos mas a palavra da cruz é para toda a vida, para todos os dias. Se vamos crescendo em Deus, vamos descobrir mais e mais o poder da cruz. Paulo não estava falando da crucificação, mas da vida de negação para caminhar com o Senhor. Não é recordar o que aconteceu da cruz e chorar, mas manter os olhos naquele que estava na cruz, o Senhor de toda criação.

A cruz não tem buracos. Vivemos ministrando sobre iniquidades, pecados e feridas, e tudo isso é porque estamos vivos. Vamos passar toda a vida administrando os mesmos problemas, porque carne é carne, mas o final da carne é a cruz. Vamos enfrentar dificuldades? Claro que sim, mas a cruz nos mantem mortos para nós mesmos

Nossa geração está trocando a cruz por um divã. Creio nos psicólogos, mas querer solucionar problemas sem cruz não é eficaz. O que o homem cria, não resolve o que a cruz resolve. Na cruz todo o velho é destruído, tudo é feito novo para a gloria de Deus (II Co.5:17).

Para o homem o novo é algo cronológico, para Deus o novo se trata de natureza. Você não tem algo novo, você tem O novo. O homem natural está envelhecendo, mas aquele que portamos dentro de nós está sendo renovado dia a dia. As pessoas esperam que você envelheça, mas você está se renovando porque o novo esta te absorvendo. Muitos têm morrido mas os santos terão longevidade.

Aquilo que Deus te deu, cada palavra que você recebe, cada experiência, é um deposito que cresce por causa da geração. Estamos numa geração de uma liderança elitista, buscamos modelos elitistas para imitar, mas o que se passou na cruz, quem gostaria de imitar? O que aconteceu na cruz? A solidão.

As multidões foram embora. Quando os discípulos o questionaram, a única coisa que doeu ao nosso Senhor: Pai, por que me desamparaste? Foi solidão, foi dor, e graças a Deus porque em sua dor fomos curados. A cruz representa vergonha, por-que morrer em uma cruz era um assunto demasiadamente vergonhoso – a vergonha da nudez (“Deus me escondi porque estava nu”). Seu filho estava nu. Ele ficou nu para vestir-nos, e hoje estamos vestidos de Cristo e quando o pai nos vê, não vê a nossa miséria, não vê os nossos erros, nos vê vestidos de Jesus Cristo. Por que competir com outros? Por que querer ser melhor que os outros? Se no final, somos vistos como seu filho Jesus Cristo.

Me glorio na cruz diz Paulo, na sua solidão, na sua dor, na sua nudez, na sua morte, porque para todos os que cremos, esta morte transformou-se em sua vida; ainda que estou na morte, e digam que é loucura, me identifico não com o sucesso de um líder, me identifico com o meu Senhor, onde o meu modelo de santificação é a cruz. Se eu não soubesse e nunca mais recebesse nada dele, somente o saber o que aconteceu na cruz, é sufi-ciente. Eu não necessito saber o seu amor hoje, porque entendi o quanto Ele me amou na cruz.

A razão porque tantos se apartam de Jesus: vivem perguntando: será que ele me ama? Ele não te ama, Ele já te amou (Rm.8:35,37). Nosso evangelho começa com a cruz e termina na cruz.

Se perguntar a alguém que foi curado: o que é a cruz para ti? Ele dirá: é o lugar onde ele me curou. Para o pecador: É o lugar onde ele me perdoou. Para o endemoninhado: é o lugar onde ele me libertou. Mas se perguntar para o pai: Pai o que foi a cruz para ti? É o lugar onde me esvaziei por amor.

Deus finalizou sua obra na cruz. Tudo que Ele tinha que fazer, fez na cruz, por isso Paulo disse que “o Deus de paz, esmagará em breve a satanás”. Não estamos em dia de fazer guerras, são dias de notificar às trevas o que aconteceu na cruz. Não existe nenhum lugar sobre toda a terra em que satanás tenha direito legal, porque o direito legal foi dado a Cristo na ressurreição.

Esta é a hora da igreja notificar aos principados e potestades, que o diabo não será vencido, os demônios não serão vencidos, porque já foram vencidos na cruz do calvário.

Deixe um comentário

Conecte-se com a rede social a qual pertence
  Se inscrever  
Notificação de

Veja outros

All articles loaded
No more articles to load
Agenda da Semana Agenda da Semana

Send this to a friend