Fariseu ou Publicano?

[social-share-display display="1561552678" force="true"]
fariseuoupublicano
fariseuoupublicano

TEXTO:Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava no íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’. “Mas o publicano ficou à distância. Ele nem ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, dizia: ‘Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador’. “Eu lhes digo que este homem, e não o outro, foi para casa justificado diante de Deus. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”. ” (Lucas 18:10-14).

Jesus contou essa interessante parábola aos seus discípulos. Haviam 2 personagens: um fariseu e um publicano. O Fariseu era aquele que conhecia a palavra de Deus, estava sempre presente nas reuniões, dizia para todo mundo que era servo de Deus e que caminhava em fidelidade ao Senhor. No seu coração, ele se achava superior que os outros, porque não cometia os mesmos pecados; talvez seus pecados não fossem roubo, corrupção e adultério, mas ele pecava achando que era melhor e mais crente que as outras pessoas – sua vida era apenas de aparência; ele pensava que porque jejuava 2 vezes por semana e entregava o dízimo, sua entrada no céu estava garantida. Mas ele estava bem enganado.

Jesus chamou a atenção dos discípulos para que não fossem como ele. E assim também, nós não podemos seguir este modelo. Não é porque vamos a igreja todos os finais de semana, não faltamos a célula e sempre ofertamos que seremos salvos; a salvação vem de uma vida reta e íntegra diante de Deus, uma vida sem pendencias, uma vida verdadeira. Não posso dizer que sou crente se no meu coração eu me vejo melhor que meus amigos. Somos todos iguais diante do Senhor, para Ele todos nós temos muito valor. E nossas diferenças não devem nos afastar ou nos discriminar, mas devem acrescentar – eu preciso aprender com a diferença do outro.

Mas Jesus citou outro exemplo: o jovem publicano, que envergonhado, nem se aproximou do altar, mas humilhou-se reconhecendo que ele não era nada sem o Senhor. Este foi aceito por Jesus e teve sua vida justificada. Este homem orou com verdade, expôs quem ele era e onde tinha errado, e este é o caminho que devemos seguir. Precisamos nos humilhar diante Dele, reconhecer que somos pecadores e precisamos do Senhor, reconhecer que nossa vida não é nada sem a Vida de Deus em nós.

Veja que a oração do publicano foi aceita, mas a oração do fariseu foi reprovada. Deus espera ouvir nossa oração, no entanto, Ele espera que seja oração de verdade, com sinceridade e verdade, não pensando no que os outros vão dizer a nosso respeito. Não adianta ter medo e tentar esconder quem nós somos por dentro, os pensamentos que temos e os desejos e vontades que estão dentro de nós. Ele nos conhece por completo (Sl.139) então o melhor que podemos fazer é nos render a Ele.

Para encerrar, eu pergunto: quem é você nesta história? O Fariseu? Ou o Publicano?

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend