Shavuot: A Festa da Família

[social-share-display display="1561552678" force="true"]
shavuotafestadafamilia
shavuotafestadafamilia

Levíticos 23:15-16,21

Pentecostes tem um significado histórico: trata-se de uma ação de graças ao Senhor pela benção de uma colheita farta dos cereais. Tendo em vista o contexto sócio-econômico da época, esses frutos da terra representavam todo o sustento das pessoas para o restante do ano. As coisas sempre vão melhor quando nos colocamos em relação de TOTAL DEPENDÊNCIA de Deus. Mas não devemos esperar por alguma situação adversa para procurar a Deus, pelo contrário, devemos fazê-lo antes, por amor a Ele e não apenas por necessidade.

Pentecostes é uma festa de gratidão a Deus por tantas bênçãos já recebidas em nossas vidas. É também uma festa de alegria pelas bençãos que o Senhor está nos entregando agora.

Pentecostes é a festa da renovação. Deus nos renova na obediência à Sua lei, nos renova com o poder do Seu Espírito, e nos renova na alegria e gratidão por suas bênçãos, tanto materiais quanto espirituais.

A palavra Pentecostes vem do grego e quer dizer 50 dias, que correspondem as 7 semanas completas até o shabbat. Essa festa é realizada exatamente 50 dias após a Pascoa. Essa é a época que repousa uma unção sobrenatural de colheita e prosperidade.

Colheita de cereal – Shavuot é Habicurim, primícias, festa de honra. Todo o mover da festa está voltado a uma celebração específica à Deus, pois o homem do campo em tudo dependia do Se-nhor e do Seu favor e misericórdia, para que se pudesse fazer uma colheita relevante.

Ao final da colheita do cereal, acontecia a festa com a entrega das primícias. Por isso essa festa é chamada também de Festa da colheita, Festa dos primeiros frutos, Festa da ceifa, Festa do resultado. Com muita dança e gritos de alegria, o povo louvava a grandeza de Deus porque a terra não havia negado seu fruto (Ex.23:16) e este era o selo para que a prosperidade não fosse fragilizada.

Cada pessoa que plantava, depois da colheita, levava ao Templo uma semente de honra que era entregue ao sacerdote, dos seus primeiros frutos (Ez.44:30). Com a Festa das Primícias dos frutos da terra, se agradece a Deus pela terra prometida e pela primeira colheita do ano em questão, e se roga a Deus para abençoar também a colheita que se aproxima, no caso de Israel, a do trigo.

Os principais frutos primiciados:

TRIGO – Colheita e Provisão.

O trigo aponta para Jesus e para a grande colheita. Jesus é o trigo que veio do céu e nasceu da terra, por isso, Ele é a nossa primícia que vence os tempos difíceis e nos ajuda a ter êxito nas outras estações complicadas.

CEVADA – Alegria e Multiplicação.

A fidelidade de Deus manifestada mesmo no inverno mais rigoroso, vence o inverno, vence o tempo difícil.

FIGO – Doçura e velocidade de resposta.

A primícias restitui a doçura da nossa vida e família e traz sombra para nossa gente, pois a figueira representa Israel e a Palavra. Ela nos garante velocidade de resposta.

ROMÃ – Domínio de território.

Como amadurece somente no fim do verão, eram usadas as folhas das romãs para ornamentação, já antecipando os frutos, gestando pela fé o fruto que se manifestaria na estação própria. Isso sinaliza a conquista que está por vir.

OLIVA – Unção e Santidade.

Pelo menos 4 bençãos saem deste fruto: óleo para fazer sabão (O Senhor é quem limpa nossas vestes), óleo para acender a luz (Ele é quem acende o Menorah completo dentro de nós), óleo para comer (Porque o Senhor é nosso alimento), e o óleo mais puro, óleo para unção (o Senhor consolida a unção e a santidade no Getsemani, o lugar da prensa).

TÂMARA – Promessa que se cumpre.

Este é o mel da promessa. Muitos teólogos estudam esse fenômeno em Israel, pois uma tamareira chega a beber até 500 litros de água por dia, então, como pode uma terra ser tão seca por fora, mas cheia de oásis e fontes internas no solo? Como pode uma terra seca ter tanto alimento e nutrientes para manter uma promessa? As vezes pensamos que estamos sem condições alguma de vencer, como se nossa fonte secasse, mas se aprofundarmos nossas raízes, com certeza estaremos supri-dos, pois raízes profundas encontram mananciais.

Entendemos então a conexão que há entre as primícias dos frutos e pentecostes. São celebrações de Gratidão a Deus.

Sabemos que toda semente plantada tem que morrer, para depois ressuscitar e só assim dar seus frutos. Jesus plantou a semente da Palavra de Deus, que só pode germinar em nós após a Sua ressurreição e assim produzir em nós os frutos desejados. Ao ressuscitar, Jesus foi feito a primícias dos que ressuscitarão.

No ano da morte e ressurreição do Senhor Jesus, foi quando aconteceu a Descida do Espírito Santo de Deus (Atos 2:1-4). Este batismo com o fogo de Espírito continua disponível para quem crer e busca. Ele nos renova e nos fortalece contra o pecado, preparando-nos para a grande comissão de evangelização que Jesus nos deu.

Lv.23:15-21 temos o comando de Deus para celebrarmos esta festa e trazermos nossa maior riqueza, nossa família, como oferta de honra ao Senhor.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend