Travar Guerra Para Multiplicar

[social-share-display display="1561552678" force="true"]

O NOVO FARAÓ E O ANTIGO FARAÓ: QUAL A DIFERENÇA ENTRE ELES?

Gênesis 50:22-26

Lendo a história de José, percebemos o quanto Deus o abençoou no Egito. Ali ele prosperou e se tornou o homem mais poderoso. Tudo tinha que passar por suas mãos. José estava debaixo da regência do antigo faraó, que o conheceu pelo seu caráter, sua conduta, sua fidelidade, sua capacidade administrativa, seu interesse em prosperar todo o Egito.

A regência do “antigo faraó” nos mostra o tempo da regência de paz, de harmonia, obediência, fidelidade, companheirismo, que foi o período da existência de José, onde José é uma figura de Cristo, que trás na sua essência todos estes atributos. Por isso, durante este período, vemos as atitudes de José:

1) Promover a unidade da família.

Depois da revelação que Jose estava vivo, toda sua família foi trazida para que estivesse com ele no Egito, na terra de Gosen.

Deus é o autor da família, Ele nunca quis que o homem ficasse sozinho – Gn.2:18 – Por que não é bom? Porque todo ser humano tem necessidades que precisam ser supridas pela família; a família é base da estrutura da sociedade. Por essa razão, quando tomamos conhecimento que Jesus está vivo, Ele nos trás com toda nossa casa para estarmos debaixo de sua cobertura, sua proteção. E ao entrarmos debaixo desta regência, onde Jesus governa, a primeira atitude nossa é restaurar a família e o relacionamento.

Os irmãos de José não gostavam dele, o tratavam com grosseria, o venderam para os ismaelitas, mentiram ao seu pai, mas agora, entraram debaixo de uma nova nuvem, onde a benção do perdão os alcançou e mudou tudo entre eles. Esta mesma benção também está reservada para você e sua casa.

2) Os filhos de Israel se multiplicaram.

Eles cresceram e se multiplicaram muito, no entanto devido a influência de José isso não trouxe nenhum impacto na liderança de faraó por que conheciam o caráter dele, sabiam que ele era fiel a faraó e jamais projetaria um golpe de estado.

Deus quando formou todas as coisas criadas, deu este mesmo comando – Crescei e multiplicai-vos. Durante o governo de Jesus, a ordem foi a mesma: ide e fazei discípulos em todas as nações, multiplique tudo que tenho vos ensinado, a saúde, a paz, a riqueza, a prosperidade, faça discípulos.

3) O governo estava nas mãos dos filhos de Israel.

Durante esse período, todas as questões do povo eram trazidas a José, Faraó não decidia nada, tudo era encaminhado a José. A autoridade estava sobre ele, o poder de decisão e o domínio do território.

Deus deu domínio, poder e autoridade, para que o homem dominasse, governasse sobre toda a terra. O homem perdeu isso tudo por causa do pecado, mas no governo de Jesus, assim como no de José, tudo estava sobre Ele. Jesus disse: Todo poder me foi dado no céu e na terra. Este mesmo poder Ele quer colocar sobre ti para desfazer as obras do diabo em sua vida e sua família.

Mas chegou o tempo da regência do “novo faraó”: O que Israel passou a ver foi algo totalmente diferente, José e toda aquela geração agora eram mortos (Ex.1:7). Tudo que Deus tinha mandado fazer durante o governo de José estava sendo feito. O povo crescendo e se multiplicando. No entanto subiu ao trono do Egito um novo rei, que nada sabia sobre José (Ex.1:8-9). Israel passou a viver uma nova realidade (vs.11).

A regência do “novo faraó” é a regência de Lúcifer, ele não queria (e não quer) que o homem seja feliz; ele decidiu mudar tudo e passou a oprimir o povo. Só que quanto mais eram oprimidos, mais numerosos se tornavam e mais se espalhavam. Por isso os egípcios passaram a temer os israelitas (vs.12).

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana