Seguindo o Modelo Correto: Jesus

[social-share-display display="1561552678" force="true"]

Filipenses 2:5-11

Um dos grandes problemas de nossa geração é a crise de referenciais. Faltam pessoas que sigam a Palavra de Deus e tenham uma conduta irrepreensível, capaz de ser imitada por todos aqueles que desejarem agradar o Senhor. Por isso, vemos que a humanidade está confusa, espelhando-se em pessoas sem temor de Deus.

Todavia, neste texto encontramos o nosso maior modelo: Jesus. Ele é o reflexo da glória do Pai e cumpriu toda a justiça (Mt.3:15; Hb.1:3). Paulo diz aos discípulos que tomem a mesma atitude mostrada por Cristo Jesus:

1. “Não exigiu nem se apegou a seus direi-tos como Deus” (vs.6)

Hoje, as pessoas buscam o reconheci-mento de seus direitos. Ninguém quer abrir mão de suas prerrogativas para ver o bem do próximo. Jesus fez o caminho inverso: como Filho de Deus (e Deus), não usou de suas prerrogativas e submeteu-se inteiramente à vontade do Pai, sendo obediente até a morte, e morte de cruz (vs.8).

2. “Esvaziou-se a si mesmo” (vs.7)

Jesus Cristo despiu-se da glória que tinha junto ao Pai e veio em figura humana, subme-tendo-se inteiramente à vontade do Pai (Jo.4.:4). Nesta terra, Jesus renunciou seus desejos e sofreu por amor de nós, vindo a ser desprezado pelos homens (Is.52:14; Is.53:2-3).

O problema de muitos crentes é que estão cheios de si mesmo, não querem renunciar seus desejos em favor das vidas e da vontade de Deus. Devemos adotar a mesma postura de João Batista: “Convém que ele cresça e que eu diminua” (Jo.3:30).

3. “Vindo a ser servo” (vs.7)

O próprio Jesus afirmou que o Filho do Homem “não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mt.20:28). No livro de Isaías, Jesus é retratado como o Servo do Senhor, ultrajado, mas fiel. Cristo era Senhor, mas submeteu-se à vontade do Pai e sofreu em nosso lugar.

Precisamos aprender a servir como Jesus, pois, no reino de Deus, o maior deve ser servo de todos (Mt.20:25-28).

4. “E tornando-se semelhante aos ho-mens” (vs.7)

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo.1:14). Jesus Cristo era Deus e homem, veio em figura humana (I Tm.2:4,5).

Isso fala de não se prender a uma falsa espiritualidade e assumir nossa humanidade, admitindo que estamos sujeitos ao erro. Como homens, dependemos de Deus e precisamos da ajuda dos nossos semelhantes. Não somos autossuficientes.

5. “E se humilhou a si mesmo” (vs.8)

Jesus era Deus, o unigênito do Pai, mas adotou uma postura humilde. Ele não se ufanava de sua divindade. Antes, submetia-se à vontade do Pai e servia as pessoas, ensinando-nos a viver em humildade (Mt.5:3; Mt.18:4 ; Mt.21:5; Mt.23:12; Lc.18:14).

6. “E foi obediente até a morte, e morte de cruz”

Jesus Cristo viveu inteiramente para fazer a vontade do Pai e cumprir a sua obra (Jo.4:34). No Getsêmani, vemos que Jesus disse ao Pai: “Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres” (Mt.26:39). Neste momento, Jesus entregou-se à vontade do Pai, que consistia em salvar a humanidade por meio do sacrifício da cruz. Quando trazemos em nosso corpo o morrer de Cristo, a sua vida é revelada em nós (II Co.4:10-12).

Em suma, Jesus é o nosso maior modelo e suas atitudes refletem o estilo de vida que o Senhor planejou para nós. Diante disso, pergunta-se: você tem seguido o modelo do Mestre?

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend