Maturidade na Visão

[social-share-display display="1561552678" force="true"]

Pv.30:33; Ex.3:8; Ex.3:17

Normalmente quando estamos passando por momentos de aflição ou angustia, a tendência é questionarmos Deus. Por quê? Toda aflição, opressão nos leva a um destino. A escolha é nossa: Onde queremos chegar? Claro que a resposta imediata é “quero sair dessa”, mas que trilhas você escolhe para sair ou qual o caminho?No meio da opressão, alguns escolhem as bebidas com o argumento: “vou afogar as magoas”; outros escolhem as drogas – “preciso viajar, sair um pouco da real; outros escolhem as mulheres – “preciso me sentir amado”; outros ainda escolhem a soli-dão, se isolam de todos, se trancam no quarto escuro para não enxergar o mundo e nem a si mesmos; outros escolhem a morte, a fuga – tentam o suicídio como alternativa de vida.

Israel viveu 400 anos de jugo que pareciam intermináveis, porém o próprio Deus desceu para trazer o livramento e a lembrança da promessa feita a Abraão (Gn.12:1-2, Gn.17:2-8), que faria dele uma grande nação e lhe da-ria a terra de Canaã em possessão perpetua.

No meio da aflição, esta promessa parecia não mais existir, já estava esquecida. Tudo que estava claro na mente daquele povo era tortura, opressão, angustia e medo. Por isso o próprio Deus veio trazer a lembrança do seu povo que aquele que prometeu é fiel para cumprir. Deus hoje quer clarear sua memória, trazendo a sua lembrança as promessas feitas. Ele não esqueceu de você! Ex.3:8.

Deus honrou sua palavra e tirou realmente seu povo de lá. Quando chegaram em Canaã, a terra prometida tinha, de fato, o leite e o mel, fartura e abundância. O povo chegou no lugar da abundancia; o jugo fora tirado, estavam livres.

Aqui esta o outro problema, muitos não sabem lidar com a liberdade que recebem. Deus arranca da escravidão de Satanás, e ignoram o libertador, começam a viver como se não precisassem dele e entram no caminho da independência de Deus.

A terra que mana leite e mel, é espaçosa, deleitosa, farta, porém exige compromisso e responsabilidade. Temos que ter compromisso de cultivar, zelar e cuidar dessa terra. O leite é resultado, ele é um liquido produzido nas glândulas mamárias dos mamíferos fêmeas. Isso quer dizer: para tomar leite tenho que primeiro, cuidar do rebanho. Tenho que ter um pasto para que ele viva bem nesse processo de crescimento até que chegue na fase da reprodução onde vai parir seus filho-tes para efetivamente produzir leite. Observe que é processual e leva tempo, trabalho, com-promisso, responsabilidade e investimento.

Quando o rebanho começa a gerar filhos, aí então podemos começar a tomar o seu leite, que já vem aquecido pelo amor e gratidão; é fruto do rebanho; é a resposta pelo tratamento que esta recebendo.

É preciso aprender outra lição: Não desperdice o leite. Pv.30:33 nos ensina como o bater do leite produz manteiga. Se quer mudar o sabor, comer coisas diferentes tem que bater o leite, tem que passar pelo liquidificador de Deus. É importante observar: Não é bater no rebanho, mas o leite. Tem líder que quer bater nas ovelhas o tempo todo – vai secar o leite, vai se tornar estéril.

Is.7:15 – Não é qualquer pessoa que pode comer manteiga, por que isso quer dizer maturidade espiritual, aprender a desprezar o mal e escolher o bem, é coisa de adulto, maduro.

O mel, assim como o leite, é resultado do trabalho das abelhas, um trabalho conjunto, de equipe onde todas se submetem a liderança da rainha para alcançar o objetivo comum. Equipes amarguradas, individualistas não pro-duzem mel; não há unidade, propósito, foco. A terra que o Senhor te fará subir é para que você como equipe produza o mel, tenha sabor, seja doce.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend