Apa. Dayse ministrando no Congresso de PS

[social-share-display display="1561552678" force="true"]
apadayseministrandops14
apadayseministrandops14

apadayseministrandops14

Edificando uma nação sob Ordem e Progresso

Juízes 6

Como estamos edificando a  nação? Edificar não é uma tarefa fácil.

Israel é um referencial para nós. Desde o principio, Deus escolheu essa nação e estabeleceu princípios para uma convivência saudável. Porém o homem começou a seguir rotas que contrariavam os princípios de Deus: “fizeram os filhos de Israel o que era mal aos olhos do Senhor”. (vs.1). Por causa disso, Deus entregou Israel nas mãos dos seus inimigos para que eles pudessem voltar ao propósito.

Edificar uma nação só será possível se estivermos firmes no propósito de Deus.

O texto diz que Israel edificava (vs.2):

– covas
– cavernas
– fortificações

Gideão vivia, bem como Israel, um dos piores momentos da sua vida, onde tudo o que era semeado na terra, estava sendo roubado; não ficava sustento; era como se estivessem ajuntando num saco furado.

O problema está em que o homem sabe quem é Deus, sabe o que precisa fazer, mas insiste em nao dar ouvidos a voz de Deus.

Não queremos admitir, mas todo embaraço que nos envolvemos, é culpa nossa, pois somos frutos das nossas escolhas. E escolhas/decisões equivocadas nos levam a fazer o mesmo que Israel: edificamos covas, cavernas e fortificações.

Ninguém edifica uma nação dentro de covas, dentro de cavernas, dentro de fortalezas; a edificação é lá fora! Há um grito no coração do povo “vem pra rua”, mas não apenas em relação ao governo, mas também do povo para a Igreja “Igreja, vem pra rua, me ajude a sair dessas cadeias”. A Igreja não pode edificar uma nação sob ordem e nem pode viver o progresso se não decidir sair das quatro paredes.

– Entrar na cova significa dizer: se esconda; um lugar de recôndito.

– Entrar na caverna é um estágio mais profundo, pois ali a tristeza ja alcançou o coração do homem, o seu espírito ja entrou na depressão, e isso leva ao próximo estágio…

– Fortificações: muralhas que levantamos ao nosso redor, mecanismos que criamos para que ninguém se aproxime de nós, ninguém entre no nosso convívio.

Uma das maiores fortificações encontra-se no campo da nossa mente. Criamos mecanismos para nos esconder:

1) de Deus

2) dos outros

3) de nós mesmos

Quando Elias se escondeu na caverna, Deus o questionou “o que fazes aqui?” (I Reis 19:9).  Deus quer saber porque estamos no lugar errado. Não temos que sair do nosso território por causa da opressão do inimigo. Deus deu uma ordem: “volte” (I Reis 19:15). Não fuja!

Quando fugimos estamos dando um atestado de impotência ao nosso Deus, que sabemos que pode fazer infinitamente mais de tudo aquilo que pedimos ou pensamos. Gideão vivia essa história. Foi confrontado pelo anjo do Senhor, que entrou na cova (vs.11) e perguntou o que ele estava fazendo ali, por que ele estava pisando uva no lagar.

Deus tem encontrado Seu povo no lugar errado, escondido pisando as uvas. Hoje o Senhor diz a você a mesma coisa que disse a Gideão: homem forte e valente, Eu Sou contigo! (vs.12). Não podemos nos mostrar fracos diante da luta, pois nossa força será pequena.

Deus disse a Gideão: “vai nessa tua força, homem valente!” (Vs.14) – assim também diz à Igreja no Brasil: vai na tua força, e mude a realidade da nação!

Vs.14 – “Não to mandei eu?” – Deus nos chama a responsabilidade do nosso chamado. Ele quem nos chamou e Ele nos capacitará. Não ache que sua força é pequena! A resposta de Deus para você: “nao to mandei eu? Esforça-te porque Eu Sou contigo por onde quer que andares!” Onde quer que você passar, o Senhor é contigo.

“Vai nessa tua força e livra Israel da mão dos midianitas” – “mas eu?” (Vs.15) – a ordem de Deus não mudou! Somos responsáveis por trazer a libertação a nossa nação. Mas como? O verso 25 diz: derrube os altares de Baal do seu pai. Deus quer que tiremos a idolatria de dentro da nossa casa. Os ídolos não estão apenas nos templos católicos, mas muitas vezes, dentro da nossa própria casa, corrompendo nosso lar. Não podemos conquistar com bases falsas.

Gideão pediu um sinal – o sinal da lã (vs.37). Para conhecer a vontade de Deus para libertar o povo, sempre queremos um sinal. E Deus deu sinais a Gideão:

.Lã – sinal do cordeiro

.Eira – lugar onde é colocado

.Orvalho – Dt.32:2

Jesus é o Cordeiro que foi colocado na eira deste mundo, e destilou como o orvalho a água viva da Palavra. De manhã, Gideão correu para ver se a lã estava molhada, e encheu uma taça com a água. Crie o hábito de, a cada manhã, encher a sua taça com a água viva do Trono de Deus.

Gideão pediu outro sinal (vs.39). Jesus veio a este mundo, cheio da água viva do Trono de Deus, mas, de que adiantava Ele estar cheio se ao seu redor esta vazio, seco.

Deus  então faz o outro sinal de Gideão. Jesus se esvaziou de Si mesmo, para que tudo e todos ao Seu redor ficassem cheios, umedecidos com a glória do Senhor.

Você nao foi chamado para ficar cheio de Deus sozinho, mas para derramar o que tem recebido e transformar a nação. Chegou a hora da Igreja colocar em ordem a sua nação, fazer acontecer!

“Então, conhecerei que hás de livrar Israel por meu intermédio”. Precisamos ter conhecimento disso. Os sinais já aconteceram, e precisamos erguer a nossa taça, e transbordar dela.

Ninguém constrói uma igreja se permanecer enclausurado em suas covas, cavernas e fortificações. Precisamos nos unir ao nosso líder para trazer a transformação, a ordem e o progresso à nossa nação. Precisamos de cura para não sermos egoístas, não retermos as bênçãos só pra nos!

Saia dessa cova! Saia dessa caverna! Volte! E faça o que o Senhor mandou!

 Fonte: MIR

 

[widgetkit id=77]

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Veja outros

Agenda da Semana
Send this to a friend