Taking too long? Close loading screen.

Festa de Purim

0

Ester 9:16-20.

Ester vivia em Susã, capital da Pérsia com o seu tio Mordecai. Tornou-se rainha ao casar com o rei Assuero e foi instrumento de salvação para o seu povo, o povo judeu. O livramento começou quando o rei, lendo os relatos de Crônicas, descobriu que Mordecai, tio de Ester, havia protegido a vida dele.

Tudo já estava preparado para que os judeus fossem exterminados. Hamã, inimigo do povo de Deus, havia preparado uma forca para Mordecai, porque este não se dobrava ante a sua presença, o que o irritava demais. Porém, Deus mudou a sorte do Seu povo. O rei Assuero, ao descobrir que Mordecai havia feito tão grande benefício em salvar a sua vida e não recebera nada em troca, chamou Hamã e perguntou o que poderia ser dado como recompensa ao homem que o rei desejava honrar. Como Hamã pensou que o rei estava falando dele, disse que este homem merecia as melhores vestes, que fosse colocada uma coroa na cabeça e que desfilasse no cavalo real até a praça.

Atendendo ao conselho de Hamã, o rei Assuero ordenou que todas essas coisas fossem feitas em favor do judeu Mordecai, e foi o próprio Hamã quem teve de conduzir o cavalo, trocar as roupas de saco e cinza de Mordecai e pôr vestes reais. Hamã foi enforcado na mesma forca que havia preparado para Mordecai, após a rainha Ester denunciar o plano que ele havia tramado contra o povo judeu.

A rainha Ester se manteve em intercessão pelo seu povo diante do rei. Ela é a figura da Igreja intercedendo diante do Rei para que seu povo não morra. Cada um de nós é um intercessor que chega diante do Todo Poderoso. E assim como o cetro foi estendido em favor de Ester pelo rei Assuero, assim o cetro de autoridade está estendido sobre nós. Podemos chegar confiadamente diante do Trono pelo novo e vivo caminho que foi instalado por Yeshua Ha Mashiach, o Messias de Israel.

A rainha Ester foi intercessora, ficou na brecha, mas contava com o auxílio de seus irmãos. Nós, Igreja de Jesus, temos um ajudador que é o Espírito Santo. Ele intercede por nós com gemidos inexprimíveis. Mordecai é, na história da rainha Ester, a figura do Espírito Santo que denunciava as artimanhas do inimigo. Todos nós precisamos da figura tremenda do Espírito Santo e do ministério tremendo da intercessão.

A Festa de Purim fala de Jesus, o nosso Grande Intercessor; do Espírito Santo, o nosso Ajudador; do ministério de intercessão da Igreja. A intercessão quebra todo decreto do inimigo sobre nós: laços de miséria, de ruína, de pobreza. Quando estamos em vigilância, o inimigo não nos toca.

Purim é:

– A festa do livramento de morte.
– A festa da mudança da sorte (Pur = sorte; Purim = sortes – dia em que Hamã marcou para aniquilar os judeus).
– A festa da oração respondida.
– A celebração da vida, da vitória do povo de Deus sobre o decreto do inimigo.
– O resgate.
– O estabelecimento de um novo tempo.

Por isso a festa de Purim fala de libertação. O Senhor mudou a sorte do Seu povo.

O que aprendemos com a história descrita neste livro?

1. Não há menção do nome de Deus. É o único livro na Bíblia em que o nome do Senhor não é mencionado, isso não quer dizer que Ele é ausente, pelo contrário, a História mostra que Ele tem o controle de todas as coisas. Ainda que você não O veja, tenha certeza, Ele está controlando o teu destino e o destino de Seu povo.

2. Purim é uma festa que mostra a preservação do povo de Israel. Ainda que haja plano para destruição do Seu povo escolhido, o Senhor os preserva e eles celebram lembrando que Israel prevalecerá contra o terror de seus inimigos.

3. Proteção – Na diáspora, todos os judeus são protegidos pelo Senhor.

4. Direito de defesa – Depois do decreto, os judeus poderiam exercer o legitimo direito de defesa. (Et.8:17 – gentios que se tornaram judeus, se converteram ao Eterno).

5. Purim é uma festa profética – nos últimos dias as nações iriam se reunir para destruir Israel. No livro de Ester havia um plano para destruir Israel e veio o livramento de Deus. Em Zacarias mostra que haverá um novo plano para destruir Israel e haverá um novo livramento de Deus. Quando celebram hoje, eles se recordam que a vitória ocorrida no passado também ocorrerá no futuro; estão declarando profeticamente a vitória do futuro, através de Jesus.

Deixe uma resposta