Levanta-te, vai a Nínive

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Texto básico: Jn 1:1

Quem era o profeta Jonas? Parece que todas as pregações que ouvimos a respeito sempre retrata os aspectos negativos do profeta. Vamos analisar com mais cuidado esse ponto de vista.

Jonas foi escolhido para ser profeta de Deus. Jeová não o teria escolhido para essa responsabilidade pesada se ele tivesse sido infiel ou injusto. Em II Reis 14:25, diz que ele era de Gate-Héfer, uma cidade que ficava a apenas 4 quilômetros de Nazaré, onde Jesus Cristo cresceria uns oito séculos mais tarde.

“Jonas foi profeta durante o reinado do Rei Jeroboão II, do reino de Israel, de dez tribos. Israel estava se desviando da presença de Deus e o país estava mais uma vez sob o poder de um rei que “fazia o que era mau aos olhos de Jeová”. (2 Reis 14:24) Assim, o trabalho de Jonas não deve ter sido fácil nem agradável. No entanto, ele o cumpriu fielmente.

Deus lhe deu uma missão desafiadora (Jonas 1:2).

Nínive ficava a uns 800 quilômetros ao leste, uma viagem que provavelmente levaria cerca de um mês a pé. Em Nínive, Jonas teria de transmitir a mensagem de julgamento de Deus aos assírios, conhecidos por serem muito violentos, até mesmo cruéis. Se Jonas havia tido pouca receptividade entre o próprio povo de Deus, o que podia esperar desses pagãos? Como se sairia um servo de Deus sozinho na enorme Nínive, que mais tarde seria chamada de “cidade de derramamento de sangue”? — Naum 3:1, 7.

Por que não devemos ver Jonas como um covarde? Era natural que temesse estes homens violentos, poderiam fazer muitas coisas com ele. O medo natural do ser humano, já o paralisaria. Embora confiasse no Senhor, não era uma decisão simples este enfrentamento. Tanto não era que ele decidiu fugir, não do comando de Deus, mais dos homens violentos de Nínive. — Jonas 1:3.

Será que isso significa que Jonas era covarde? Não devemos nos apressar em julgá-lo. Quem de nós nunca teve medo? Como você se sente a respeito de uma designação que Deus te dá, e muitas vezes nem é para falar para pessoas violentas, mais as vezes é para um parente de 1o. Grau e não tem coragem. Falar do amor de Jesus para seu chefe ou colega de aula e a vergonha, a timidez te faz um fugitivo tanto quanto Jonas.

Podemos imaginar Jonas se acomodando naquela embarcação, provavelmente um navio de carga fenício. Ele observava o movimento da tripulação e do capitão ao passo que preparavam o navio para deixar o porto. À medida que a costa ia lentamente ficando para trás e desaparecendo, Jonas talvez achasse que estava escapando do perigo que tanto temia. Mas de repente o tempo mudou. Ventos fortes deixaram o mar muito agitado, com ondas que talvez fizessem até as mais modernas embarcações parecerem minúsculas.

Sentindo-se incapaz de ajudar, Jonas desceu do convés do navio e achou um lugar para se deitar. Ali, ele caiu num sono profundo. (v.5)

O capitão encontrou Jonas, acordou-o e lhe implorou que orasse ao seu Deus, assim como todos estavam fazendo. Convencidos de que havia algo sobrenatural naquela tempestade, os marinheiros lançaram sortes para ver qual deles era a causa do problema.

Jonas contou tudo aos marinheiros. O que Jonas disse? O que a maioria de nós não teria coragem de dizer. Se o medo o fez fugir de homens valentes, agora ele deveria ter estremecido ao pensar que se afogaria naquele mar gelado e agitado.

Finalmente, viram que não tinham escolha. Rogando ao Deus de Jonas, Jeová, que lhes mostrasse misericórdia, eles levantaram Jonas e o lançaram no mar. — Jonas 1:13-15. Jonas caiu nas ondas bravias.

Deus “providenciou um grande peixe para engolir Jonas”.

Parecia o fim. Mas Jonas percebeu algo espantoso. Ele ainda estava vivo! Não foi mordido, esmagado, nem digerido, nem mesmo sufocado. Não, o fôlego de vida ainda estava nele, embora estivesse no que provavelmente seria sua sepultura. O profeta viveu o maior milagre jamais experimentado. Como poderia explicar estar vivo num lugar sem oxigênio? Como permanecer vivo dentro daquele enorme peixe, poder raciocinar, pensar, orar ao Senhor, é ou não é um milagre.

Sua oração, registrada na íntegra no capítulo 2 de Jonas, nos revela muito sobre ele. Ali, no lugar mais improvável — “nas entranhas do peixe”, Jonas aprendeu que Jeová pode salvar qualquer pessoa, em qualquer lugar, a qualquer hora. Assim como Jeová encontrou e salvou seu servo atribulado. (Jonas 1:17) Ele esta aqui para te encontrar, pare de fugir dEle.

O que podemos aprender de Jonas no que se refere aos nossos erros? Ele aprendeu a mostrar gratidão a Deus por obedecê-lo. Depois de três dias e três noites, o peixe “vomitou Jonas em terra seca”. (Jonas 2:10) Deus o testou outra vez.

Jonas 3:1, 2 diz: ‘Levanta-te, vai a Nínive … O que Jonas fez?

Ele não hesitou. (Jonas 3:3) De fato, ele obedeceu. Fica claro que ele tinha aprendido com seus erros. Todos pecamos; todos cometemos erros. (Rom. 3:23) Mas será que desistimos, ou aprendemos com nossos erros e passamos a fazer aquilo que Deus espera de nós?

Nesta manhã, pare de fugir de Deus, aprenda a ouvir e obedecer a voz de Deus.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.